Arquivos

4-3-3 nos testes

O amistoso do Brasil de Tite contra o Japão hoje foi pautado por uma característica: testes.
Tais testes, com seis mudanças no time titular, mudaram o plano tático do 4-1-4-1 do Real Madrid que ele adota – talvez influenciado pelo seu estágio com Carlo Ancelloti – para um 4-3-3 por conta das peças utilizadas.
Num primeiro tempo muito bom ofensivamente e com poucos erros defensivos, o placar de 3 x 0 foi construído com a facilidade que por conta do Brasil atacar os espaços, executar o perde-ganha da bola, recompor rápido e usar a velocidade com amplitude do campo e muita movimentação.
Daí, mais algumas mudanças no segundo tempo e a reorganização da equipe nipônica levaram o jogo – e costuma ser assim diante de tantas mudanças também – para uma partida de nível fraco e com o Japão descontando no marcador.
Total descaracterização na segunda etapa e erros defensivos como de Jemerson no gol de Matiko e Cássio, que não soube aproveitar seu momento.
Falando primeiramente dos atletas que entraram para tentarem fazer parte do grupo dos 23 na Rússia…
Danilo, na lateral-direita, foi o que teve a melhor participação dos postulantes. O “fantasma” de Fagner começa a ser eliminado.
Jemerson não foi nada bem na zaga. Dos que disputam vaga com ele, Gil já está descartado e Rodrigo Caio em declínio técnico. Geromel poderia ser chamado.
Thiago Silva foi bem, mas deverá ser o reserva imediato de Marquinhos e Miranda.
Fernandinho foi razoável, mas deverá ser reserva de Casemiro. Sou a favor de repetir a dupla com os desfalcados ingleses dia 14/11 em Wembley. Renato Augusto cumpre melhor a função de chegada, mas a fase do meia do Manchester City demanda mais oportunidades de titular. Entre os 23 sempre esteve!
Já Giuliano, atualmente no Fenerbahçe – complicada negociação de transferência – foi pouco produtivo na vaga do titular Paulinho. Nesta vaga, a pressão por Hernanes é muito grande na suplência ao meia do Barcelona! Claro que Luan do Grêmio será reconvocado na próxima lista de amistosos e, neste função, pode contribuir e muito! Eu levaria os dois e Luan no lugar de um dos chamados “extremas” (Taison e Douglas Costa disputam esta vaga).
Ganharíamos em opções polivalentes e de qualidade técnica ascendente.
E William é a sexta opção como titular, também muito garantido na Copa. Com ele, o sistema muda para 4-3-3. Com Coutinho, volta o 4-1-4-1, um pouco resumidamente.
Dos que entraram no segundo tempo, Cássio não foi bem e não sabe jogar com os pés e não tem um bom tempo de saída da área. Se fosse com ele no primeiro tempo, o Japão teria feito um gol em contra-ataque que Alisson rapidamente saiu do gol e interviu de cabeça. Vanderlei é melhor como terceira opção! Alisson e Ederson estão consumados!
Infelizmente, pelo destino das contusões de Filipe Luis, Alex Sandro vem ganhando, merecidamente, a disputa para a reserva de Marcelo. Já Renato Augusto ainda sofre por jogar na China, mas está bem mais adaptado ao esquema tático que Fernandinho.
Taison foi um pouco melhor que Douglas Costa, nesta disputa na última vaga do ataque brasileiro, mas prefiro dar a opção de levar Hernanes e Luan em seus lugares e de Giuliano, na lista de 23, uma vez que Paulinho, Neymar, Coutinho, Gabriel Jesus e William fecham a conta.
Já Diego Souza não é a melhor alternativa. Firmino deverá ter chance como “9” contra os ingleses e é bom jogador. É esperar!
Mas, diante da minha proposta de plantel e testes, diante de uma eventual contusão ou suspensão de Gabriel Jesus, por que não testar Paulinho de ‘falso nove”?
As possibilidades e variações podem e devem ser trabalhadas, em elenco e propostas de jogo, que nunca, em nossa história – e neste futebol moderno – nunca tivemos!

TwitterFacebookEmailPocketGoogle+Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *