Arquivos

O que vamos encontrar na Copa

Exceção à Espanha e Alemanha, jogar contra a seleção brasileira será isso: postura altamente defensiva dos adversários.
Como o fizeram os desfalcados ingleses que, mesmo sendo um amistoso, se tivessem com seus titulares de ataque lesionados Harry Kane, Delle Ali e Sterling, o jogo ficaria mais aberto e correriam mais riscos que os tão poucos que sofreram em apenas três chances de gol brasileiras, que dominou mas não concluiu.
Quanto aos defeitos, a ansiedade em vencer o jogo gerou algumas situações abaixo:
1) quase nenhuma ultrapassagem de laterais com Daniel Alves nervoso e Marcelo, este em uma de suas piores partidas e o que errou mais passes;
2) Neymar, sobretudo no primeiro tempo, teve duas oportunidades de passar a bola para um companheiro melhor colocado: Coutinho em uma e Paulinho em outra, melhor posicionados, que poderiam ter resultado em perigoso chute a gol. Quis chutar de qualquer jeito Neymar;
3) Coutinho vem de contusão e não poderia ter jogado esta partida: percebia-se que seu corpo não acompanhava seu raciocínio, ainda mais diante de uma retranca tão forte dos donos da casa que exigia a questão física em dia;
4) Os laterais cumprem um papel tático importante neste esquema e, hoje, ambos foram muito mal;
5) Paulinho precisava chegar mais próximo de Gabriel Jesus como um ponta-de-lança e Renato contar mais com os laterais e os extremas. Neymar precisa ajudar mais na marcação;
6) Tite demorou muito tempo em mexer. A entrada de William no lugar de Coutinho – após o erro de sua escalação hoje – seria essencial que fosse muito mais cedo;
7) Tite levou Diego Ribas para quê? Luan é bem melhor nesta função, deslocando Paulinho para a ponta-de-lança e aumentando a qualidade da chegada ao ataque;
8) Tite levou Giuliano pra quê? Hernanes faz o jogo apoiado tão bem quanto Renato e chega como elemento surpresa, atacando os espaços, com força e excelente finalização;
9) Tite não testou a opção de amplitude de Taison no jogo de hoje, em lugar de Neymar. Douglas Costa, infelizmente, não dá mais;
10) Tite poderia ter testado Firmino pelo lado com Gabriel Jesus também, como o faz o Liverpool com a dupla Saha e o próprio Firmino.
A defesa foi muito bem. Apenas Casemiro precisa controlar sua afobação em alguns lances, mas Marquinhos e Miranda impecáveis e Alisson muito seguro.
Tite começa equilibrando seus setores com o jogo apoiado, compactação e o perde-ganha.
Mas, isto parece consolidado!
Creio que agora começará uma nova fase de aprimoramento ofensivo porque nenhuma seleção – abdicando de jogar, inclusive – jogará contra o rápido e habilidoso Brasil de frente, com as exceções no início desta análise.
Por outro lado, além da alta viabilidade do teste, foi muito importante o resultado final de 0 x 0 para baixar o ufanismo.
Ufanismo que, desde 2006 tem nos prejudicado quando chegamos aos Mundiais, criando uma ilusão de que tudo está bom, seleção pronta, elenco fechado e acomodação!
Isto teve um preço muito alto de anos de preguiça: os 7 a 1 de 2014!
Com certeza Tite e sua competente comissão técnica sabem do trabalho que terão, mas seria importante que Edu e a moralmente falida CBF conseguissem ao menos mais um amistoso contra uma Espanha, por exemplo; além de Rússia e Alemanha marcados para março de 2018.
Honestamente, prefiro assim, consolidando sem ufanismo e com a completa noção da realidade do que encontraremos de nossos adversários na Copa.
Nada é mais importante que a reflexão e arejamento de idéias!

TwitterFacebookEmailPocketGoogle+Compartilhar

Os comentários estão encerrados.