Arquivos

Darcio Ricca

Seria bom empatar, mas quem tem Neymar…

Nos 2 x 1 ante o Peru, o Brasil estreou com vitória em dia de diminuição de distância entre a badalada Colômbia ante a evoluída Venezuela.

Neymar, mesmo Dunga errando na distribuição tática (sobretudo no segundo tempo) e suas escolhas (David Luiz, Fernandinho, Fred, Douglas Costa e Tardelli).

Neymar é o segundo melhor jogador do mundo e, por incrível que pareça, conseguiu se motivar com esta Copa América, mesmo diante de uma conquista tão mais importante, no sábado passado com Messi, Iniesta e Luis Suárez.

Desta vez, prefiro reprodurizr, abaixo, meus comentários nas redes sociais abaixo porque esta Copa América, até o m omento, está bem chatinha, com exceção do primeiro tempo dos argentinos ante os paraguaios.

Apesar da Eurocopa ter uma grande maioria de jogos soníferos.

Encerro com as participações no facebook:

David Luiz, que a torcida perdoou nos 7 x 1 porque chorou, apesar de ter sido um dos maiores responsáveis pela maior tragédia que a CBF e a Globo querem que esqueçamos, provou, como sempre digo há mais de 6 anos, que é fraco. Que falha bizonha. Mourinho sempre teve razão. Ele representa nosso comportamento ansioso, afobado e emotivo. David Luiz é querido pela maioria porque pede perdão chorando no melhor marketing esquentahuckaltashoras, por estes sim sabem que é disso que o povo gosta. 1 x 0 Peru, com direito a bola nas costas e pé mole, mas “espírito guerreiro de uma brasileiro com muito orgulho e muito amor”. Cansativo!

Como Daniel Alves ganha a vaga no lugar do ótimo e contundido Danilo. Fabinho foi mal convocado, Dunga?

Neymar é suficiente contra a pobre zaga peruana. 1 x 1. Daniel Alves apoiando é ótimo. Defensivamente, assim como Marcelo, péssimo. No ataque, os melhores do mundo. Ou seja, viraram jogadores de meio de campo e Dunga, que não “sai da casinha” como a maioria dos corporativistas treinadores brasileiros, insistem na mesmice tática.

A defesa do Brasil, antes segura, com Dani Alves, Fernandinho e David Luiz, facilita para o rápido ataque peruano.

Neymar, Willian e Phillipe Coutinho: (apenas hoje de fora por contusão) agora temos qualidade ofensiva que faltou na Copa. Nos 7 x 1, Felipão jogou num “surpreendente” 4-2-4 dos anos 60 com Hulk fixo pela direita, Oscar disperso, Fred preso à marcação e a “alegria nas pernas” do Bernard. Meio de campo com o perdido Fernandinho, sobrou apenas para o ótimo Luiz Gustavo ante Kroos, Ozil e Schweinsteiger, sem quebrarem o passe alemão. Dunga ao menos está tentando consertar este distanciamento e treina duro a equipe. Felipão, Parreira e Murtosa no pijama training.

Firmino é um meia como “falso nove” com mais firmeza de decisão que o irregular Tardelli.

Fernandinho e Daniel Alves na defesa: certeza de emoção. Willian é muito bom, mas está muito afobado no jogo. Filipe Luís exibe alta regularidade.

Elias é um jogador interessante, mas entrou no jogo?

Oscar e Luiz Gustavo fazem muita falta. Phillipe Coutinho também!

Finalmente Everton Ribeiro. Pena no lugar do Willian. Poderia ser no lugar do Fernandinho, recuando o Elias, por exemplo. Mas, ousadia não faz parte da mentalidade atrasada do futebol brasileiro, que vive do penta até hoje!

É bom empatar para tira esta falsa ideia dos 100 % de aproveitamento. Mudança total no futebol brasileiro não passa na cabeça do bom mas subserviente treinador brasileiro.

Só disposição e força. Difícil ver o time pensar.

Como Neymar pensa, bola para o forçudo Douglas Costa. Dunga venceu de novo com o inteligência e habilidade do vice-rei do futebol atual.

 

TwitterFacebookEmailPocketGoogle+Compartilhar

Chatices

Dois amistosos muito chatos, soníferos. Principalmente nos segundos-tempos.

México com 6 reservas: 2 x 0 no primeiro tempo.

Honduras titular do ótimo treinador Jorge Luis Pinto: 1 x 0 no primeiro tempo.

A  Globo e o SporTV tentando vender o produto, mesmo diante dos escândalos e da “marcha lenta” destes dois amistosos. Gente de terno com mão na frente igual segurança patrimonial.

O patrimônio da audiência!

Dunga é bom treinador e está montando uma boa equipe. Ganhar a Copa é sua meta. O futebol brasileiro, com a lição dos 7 x 1, precisa de mais e melhor do que isso, urgente!

Dunga escolheu para esta Copa América jogadores de futebol que são divididos em: craques, ótimos, bons, esforçados, limitados e estabanados.

Craque: Neymar. Marcelo (cortado, se jogasse como meia, “fora da caixinha”, seria mais interessante).

Ótimos: Danilo (parece que será cortado por contusão e virá o ultrapassado Daniel Alves), Filipe Luis (lateral clássico), Miranda, Jefferson, Marcelo Grohe, Elias, Philippe Coutinho, Willian, Roberto Firmino, Thiago Silva e Marquinhos. Pena as contusões de Oscar (deveria jogar mais recuado), de Luiz Gustavo (em grande ascensão) e Diego Alves.

Bons (e regulares): Everton Ribeiro, Tardelli, Geferson, Fernandinho e Fred (que a torcida paulista “informada” confundiu com o atacante da Copa 14).

Esforçados: Fabinho, Douglas Costa (justificaram que fica à vontade na seleção e que têm clubes interessados nele. Que sono!), Felipe Menezes e Neto.

Estabanados: David Luiz (mais propaganda que bola) e Casemiro (que partida sofrível contra Honduras!).

E as entidades máximas daqui (CPI para “boi dormir” e “em berço esplêndido”) e de lá (Jack Warner vai falar mais e mais e Marin vai usar o benefício da delação premiada?).

Gente surfando na onda como Galvão e Ronaldo. E a bancada da bola rindo da nossa cara.

Os gols da Alemanha não param de acontecer!

 

Um jogo bem cedo

Aconteceu uma partida muito importante neste começo de manhã, direto da sede da entidade máxima do esporte bretão.

Não se trata da “pelada” de logo mais com resultado previsto, sem margem de erro, em que consagrar a vitória do mandatário principal e ditador que se desenha no horizonte obscuro dos bastidores do futebol, mas, sim, da ação de craques investigadores, sem uniformes característicos, que tiveram muita “fome de bola” hoje.

Marcaram 14 gols, exatamente o dobro dos 7 que o Brasil levou da Alemanha para forçar mudanças por meio do aprendizado que ainda, infelizmente, não reagimos!

O mais bonito destes 14 gols de hoje foi um marcado contra um brasileiro, num drible desconcertante, inesperado e com direito a um “lençol” dentro da área da arrogância e impunidade!

Um golaço!

Espero que esta partida histórica, de grandes jogadas leais, possa trazer um novo patamar para o futebol mundial.

Pena que os craques eram de fora do nosso país porque os daqui não conseguiram marcar nem um golzinho sequer, em nossos gramados.

No nosso meio político, da cartolagem ao legislativo, o jogo é sempre feio e truncado!

Matéria em:

http://espn.uol.com.br/noticia/513232_operacao-na-suica-prende-jose-maria-marin-e-mais-seis-executivos-da-fifa

 

Página 30 de 145« Primeira...1020...2829303132...405060...Última »