Arquivos

Colunas

Seleção na contramão

Minha camisa de seleção, no jogo de hoje. Simbolismo puro!

Minha camisa de seleção, no jogo de hoje. Simbolismo puro!

Uma seleção na contramão, no sentido oposto ao país. 

Se o país caminha para falta de planejamento, de perspectiva, de recursos, de credibilidade e de interesse; a seleção brasileira faz o caminho oposto. Ela traz trabalho bem executado!

Se os dirigentes de clubes e federações de futebol fazem acordo com a entidade máxima para perpetuação desta no poder caseiro e na manutenção do status quo na inviabilidade de sua auto-punição de ver além mares; a seleção se direciona no sentido contrário. Ela alcança o mundo!

Se os políticos e eleitores se digladiam e se misturam nas mesma ausência de compromisso com o coletivo, com o individualismo e com a perpetuação da lei da vantagem e da esperteza, a seleção vai por outro lado. Ela joga futebol participativo e dinâmico!

Se torcedores não possuem equilíbrio, bom senso e respeito ao outro; a seleção busca o inverso. Ela é compacta e inteligente taticamente!

Se os simpatizantes buscam heróis e imediatistas substitutivos com discursos emotivos e sem conteúdo de execução prática, a seleção pensa diferente. Ela tem humildade e pés-no-chão!

Se a seleção é do povo, não sei se este esteja preparado para recebê-la. Ela é fruto de planejamento e de transpiração!

Se a seleção pertence a um CNPJ privado, não sei por que ela consegue se desvincular de tudo e de todos. Ela está no nosso imaginário!

Visão do 3 na Copa do estádio

Visão do 3 na Copa do estádio

Nesta noite de jogo e de madrugada na escrita, o 3 na Copa foi ao jogo entre Brasil e Paraguai, na Arena Corinthians, acompanhar o “quase passaporte carimbado” para Rússia em 2018. No final, na madrugada adentro, não ficou para a 15a. rodada, em agosto, daqui 5 meses, contra o Equador, em casa!

Um Equador que começou forte e que caiu sensivelmente, desde a primeira derrota em casa para a estréia de Tite, em tarde de Gabriel, Jesus, abrindo a série de 8 vitórias consecutivas em Eliminatórias (recorde absoluto!). Hoje, ajudaram o Brasil, perdendo para a Colômbia na altitude.

Nem a altitude contra o Brasil e contra a Colômbia na mesma data, não está mais ajudando o Equador.

Já o Chile, somente por um quase milagre, perderia para a Venezuela, o qual venceu bem, em casa. Quase o carimbo da seleção brasileira de Tite.

No final, o Peru classificou o Brasil, o primeiro país a carimbar vaga para o Mundial 2018 na Rússia, graças a uma vitória dos peruanos, em casa, ante o Uruguai.

Uma seleção brasileira que amadurece a cada jogo, aprende a disputar diferentes dias e propostas de jogo adversárias e sabe usar, com inteligência de seus recursos técnicos individuais, dentro da alta concentração de jogo coletivo.

Hoje, diante do Paraguai, de ótimo sistema defensivo elaborado por Arce, com paciência e domínio do nervosismo inicial de 15 minutos motivados pela pressão do favoritismo; a seleção brasileira, com muita movimentação, jogadas individuais, triangulações e passes curtos e rápidos conseguiu impor seu jogo; saiu na frente com uma pintura entre Paulinho e Coutinho. A luta do 5-4-1 paraguaio contra o 4-1-4-1 e variáveis do Brasil.

No intervalo, Tite reorganizou e a seleção voltou muito forte, compacta e atacando coordenadamente em bloco,. Aliviada da tensão, ampliou com Neymar e Marcelo, além do pênalti sofrido e mal batido por Neymar.

Um azougue, um frisson e um rompante com Neymar, Paulinho, Coutinho e Marcelo, bem protegidos taticamente por Casemiro e Renato Augusto, muito eficientes nesta noite. Fagner, não comprometeu no segundo tempo. No primeiro, deixou espaços na lateral que o quase nulo ataque paraguaio não soube aproveitar.

Miranda foi se firmando e Marquinhos muito preciso, dando a lugar a Thiago Silva, no intervalo, por conta de uma fisgada. Thiago foi bem, não tanto como o colega de PSG, o melhor do sistema defensivo brasileiro.

Alisson saiu atrasado numa única bola, mas nada chegava a seu gol, tamanha a força de tomada de terreno do time brasileiro. Coletivamente, a melhor seleção do planeta, neste momento! Neste momento, ok?

Firmino muito esforçado, fez ótimo primeiro tempo e caiu de produção no segundo. Diego Souza entrou bem pouquinho tempo e mostrou muita vontade. William deu descanso ao também protagonista Philippe Coutinho.

Se a conquista de uma Copa não vier na contramão da vida, a certeza do jogo bem jogado é mais importante que qualquer vitória a qualquer custo, sem desprezar os acasos, que sempre existirão!

Se o corpo está cansado, a alma está em paz!

 

TwitterFacebookEmailPocketGoogle+Compartilhar

8 anos de 3 na Copa

Parabéns aos 8 anos do 3 na Copa!

Seguimos em frente, graças a vocês!

7 a 1

As anotações táticas de Dárcio Ricca  1058-_mesa_de_pebolim

Paulinho, o 15, como de Falcão

Sempre deixei bem claro aos meus amigos que Falcão foi meu jogador preferido, sem ser os inúmeros vistos pelo videotape.

O camisa 15 da seleção brasileira de 1982, o melhor jogador daquela Copa do Mundo, mas que perdeu para o carrasco brasileiro Paolo Rossi, injustamente.

A seleção de Telê Santana.

Quanto tempo faz, mesmo que com os títulos de 1994 e de 2002, e algumas ilusões, que uma seleção brasileira te faz ter vontade de ver seus jogos, como esta de Tite, depois de Telê?

Mesmo com erros e críticas, justas e conscientes nas duas seleções, separadas por quase 35 anos de história de muitas mudanças na prática do jogo, o prazer, independentemente do resultado elástico desta noite, via Montevidéu, voltou!

Paulinho, com 3 dos 4 gols brasileiros, permitiu a chuva de alegria molhar de suor sua camisa 15, jogando um pouco do que foi seu antecessor de mesmo número de camisa, com direito a golaço de fora da área, chegada como elemento surpresa e definidor de peito após cruzamento.

Neymar impecável, cabelo ao natural, relacionamento amoroso retomado, grande momento, foi impecável! Jogando bola e mais nada!

E tem em Philippe Coutinho um grandioso, brigador e virtuoso parceiro!

Renato Augusto dita o ritmo e marca as ocupações de espaços. É o representante de um Tite que joga junto. Uma harmonia!

Maturidade de seleção pós 7 a 1, tendo em Paulinho seu grande exemplo de aprendizado e de superação.

Uma dupla de zagueiros bem entrosada com Miranda e Marquinhos.

Tudo num roteiro de uma má noite de Marcelo que, se foi bem no ataque como sempre, defensivamente deixou muito a desejar, dando de peito, displicente, a Alisson, que teve que fazer pênalti no guerreiro e competente Cavani.

Cavani bate o pênalti com bravura e técnica e abre o placar.

O Brasil retoma o jogo, sempre amparado pelo treinador participativo e que tem o time nas mãos. E eles confiam nele e não se deixam abater.

Muitas vezes Tite alertava nossos dois laterais, que erraram defensivamente hoje. Daniel Alves levou amarelo. Marcelo, também.

O mesmo Daniel Alves que fecha o caixão, no cruzamento de curva ao peito de Paulinho!

Laterais sempre eram bem cobertos pelo melhor volante da atualidade, o Casemiro. Mas, hoje, ele fez uma partida bem abaixo de seu potencial. Melhorou no segundo tempo, quando a equipe voltou forte, arrumada, compacta, toques rápidos e envolventes. Muita movimentação e marcação por zona bem executada.

Voltaram depois de empatarem, com o golaço de Paulinho.

Firmino foi solidário, mas muito aquém de Gabriel Jesus, lesionado. O gol que perdeu quando ainda estava 0 x 0 com Neymar fantástico e Coutinho preciso, foi inacreditável!

Firmino compensou um pouco no giro a Paulinho, na virada.

Neymar vence Coates, acreditando em todas as jogadas e marca uma pintura de gol. Neymar foi altamente maduro. Tite tira o melhor dele!

Fernandinho e William entraram bem nos lugares dos exaustos Renato Augusto e Philippe Coutinho.

Diego Souza, no final, no lugar de Firmino, mostrou acreditar em todas as bolas, com foco. Quase saiu o quinto gol.

Um Uruguai que sentiu muito a ausência do excepcional Luiz Suárez, mas é bem treinado por Oscar Tabarez, porém, uma equipe envelhecida e experiente.

Aliás, dois técnicos que priorizam jogo de futebol, diferente de outros confrontos do passado.

E Fagner vai jogar contra o Paraguai, em casa. Eu estarei lá, para ver de perto!

E comemorar a evolução, com um longo caminho pela frente e sabedores que todos somos humanos e falíveis e o acaso sempre existirá.

Mas com carimbo definitivo no passaporte para entrarem no aeroporto de Moscou em 2018!

 

Página 3 de 14212345...102030...Última »